Morar em Madrid: uma visão pessoal

0
293

Falarei sobre morar em Madrid, de uma perspectiva mais pessoal de quem que vive nela. Não somente relatar estatísticas ou vender números. Porque na verdade, isso no dia a dia é o que menos importa e pouco a pouco cada um vai construindo sua realidade e tendo sua própria experiência.

Viver na Europa sempre foi um sonho que começou quando tinha 11 anos. De um pré-adolescente que descobria sua paixão pela leitura e com ela, o desejo platônico de viver no velho continente. Na época não havia acesso a internet como agora e nem blogs como esse. Minha fonte de informação era apenas livros, revistas de viagens e televisão.

Era o início dos anos 90, pós queda do muro de Berlin e fim da Antiga União Soviética. Lembro-me do Program Livre do Serginho Grosman, que sempre trazia reportagens e entrevistas sobre viver no exterior.

Naquela altura para mim não havia esse entendimento de sair para fazer ”a vida” ou, como algo que está muito em voga hoje em dia. Sair em busca de qualidade de vida. O que queria mesmo era viver aqui, conhecer in loco sua história, seus monumentos e sua cultura.

Depois de muita pesquisa e contatos com pessoas que tinha vivido por essas bandas. Já adulto tive minha primeira experiência em morar em Madrid em 2008 em plena crise depois de ter morado em Portugal nos anos fartos do começo de 2000.

O que precisa saber

Morar em Madrid
Palácio Real

Madrid segundo o Wikipedia é uma cidade com mais de 3 milhões de moradores, a maior população da Espanha é também a terceira maior cidade da União Europeia, ficando atrás somente de Londres e Berlim. A grande Madrid tem mais de 6,5 milhões de habitantes.

A cidade de Madrid tem uma rede de transportes bastante vasta e completa. Os vários meios de transporte, e respectivas infraestruturas, estão organizados de forma a reduzir substancialmente a dependência do automóvel na capital, possibilitando uma rápida circulação, quer de quem circula dentro da cidade, quer de quem se desloca desde a zona metropolitana.

O Metrô de Madrid serve os mais de três milhões de habitantes e é uma das redes em maior expansão em todo o mundo. Tem a segundo maior rede de sistema da Europa ocidental, ficando atrás somente o de Londres. Madrid é o sexto maior do mundo em extensão e quantidade de estações.

Outro fator  importante a saber é o clima. Em Madrid como se diz por aqui, temos 9 meses de inverno e 3 meses de inferno, o verão é insuportável, confesso que sinto mais calor aqui do que quando estava no Brasil. Para quem não está acostumado ao frio, e os brasileiros não estão, é muito complicado.

 Vale a pena também saber…

Como uns dos grandes centros financeiros da Europa, abriga as maiores empresas do país. Com o Brexit, ou seja, com a saída da Inglaterra da UE, Madrid entra na disputa com outras capitais europeias com os despojos da City de Londres. As multinacionais já perceberam o potencial que cidade tem a oferecer como:

  • Clima agradável quase todo o ano.
  • Preços do alugueis muito barato comparado a grandes centros como Londres, Paris e Milão.
  • Uma excelente mobilidade urbana.
  • Boa oferta de lazer.
  • Uma gastronomia rica e atrativa.
  • Um grande capital humano jovem e qualificado.

Então, morar em Madrid é mais um atrativo na hora de conseguir um emprego e se manter no mercado de trabalho. Além do mais, se você deseja um lugar agradável para estudar, Madrid pode ser uma excelente opção. Com seis universidades públicas, a capital madrilenha tem um grande número de estudantes no ensino superior, mesmo as taxas universitárias ter subido absurdamente.

Um Lugar para viver

Morar em Madrid
Madrid-Rio-Mazanares

Madrid mesmo sendo uma metrópole, no qual você pode ter acesso a tudo que um grande centro pode oferecer, ela mantem um espírito e um ar interiorano, não é por acaso que a cidade é conhecida como Vila de Madrid.

Depois de viver em Londres mais de 1 ano e meio, Lisboa e Roma me possibilita fazer comparações sem generalizar, pois cada cidade tem sua própria realidade e características.

Uma das coisas que mais me chama atenção em Madrid é que aqui, o tempo parece passar ”despacito” como dizem os espanhóis, as pessoas caminham lentamente. Ao atravessar o sinal preferencial, os pedestres estão tão distraídos que mal chega do outro lado calçada, já está quase fechando novamente.

Morar em Madrid
Terrazas

Os madrilenhos são ”chulos” ou seja, são altivos e orgulhosos de si próprios, de sua cultura e de sua língua, no caso, o Espanhol. Isso em princípio pode soar estranho e até incomodar aos recém chegados.

Os madrilenhos amam sair e desfrutar ao ar livre, seja num parque ou gastar o tempo nas ”terrazas” tomando uma copa de vino(taça de vinho) ou uma caña(é o que da nome à cerveja servida através da torneira do barril) e picando( beliscando porções acompanhadas por uma bebida) até perder o tempo.

Madrid é um lugar para se viver, um lugar perfeito que encaixa no conceito qualidade de vida, muitos brasileiros quando pensam em vir para Espanha, logo vem a mente a cidade de Madrid.

Codificando o conceito qualidade de vida

Morar em Madrid
Parque del Retiro

Quando pensamos em qualidade de vida, rapidamente pensamos em poder aquisitivo para poder desfrutar de tudo que o dinheiro pode oferecer: uma casa confortável, uma boa alimentação, bens de consumo, segurança e etc.

Aqui na Europa esse conceito de ter muito dinheiro para ter as coisas é relativamente muito diferente, a realidade e a própria estrutura econômica, social e cultural, diferencia daquela que estamos muito acostumados no Brasil, pois para ter acesso a certos bens de consumo ou você tem muito dinheiro ou você é rico.

Com passar do tempo nesse lugar, você aprende a conjugar o verbo ser mais do que o ter, descobre também que não precisa ter muito dinheiro para ter as coisas, basta ter um trabalho que tudo isso será uma consequência. Sim, ao morar em Madrid ou na Europa isso será uma realidade.

Madrid é uma das capitais europeias mais acessíveis, com um custo de vida muito baixo. Se pensarmos em custo e benefícios. A cidade se destaca por somar um conjunto de fatores: um transporte público muito eficiente, uma variedade de lazer e uma oferta gastronômica a um preço muito justo, diferente de outras capitais europeias.

Madrid está a menos de 1 hora de trem desde a estação de Atocha da estação de esqui de Navacerrada, garantindo uma excelente pedida no inverno. A cidade está cercada por várias cidades históricas, lindas e charmosas.

Conta com um excelente aeroporto, bem comunicado com toda Europa. Viajar pelo continente europeu não é luxo e sim uma necessidade que está ao seu alcance. Logo morar em Madrid vale a pena…

Morar em Madrid
Navacerrada

Aqui com menos, se vive mais

Aqui com um trabalho estável se vive muito bem obrigado. Porém os sintomas da crise de 2007 que abalou a Europa e principalmente a Espanha, ainda é perceptível. E aqui não é diferente. Morar em Madrid, as coisas também podem demoram um pouco para acontecer. E isso no início para um recém chegado pode ser um problema.

(Vale ressaltar que o conceito de crise é muito relativo e pessoal, mas para um Brasileiro, creio que tiramos de letra, os que os Europeus e principalmente os Espanhóis chamam de crise).

Porém, é preciso lembrar que todo começo de jornada no exterior é um período de adaptação. Não pense você independente de qualquer situação, que ficará imune a isso. Claro que chegará a fase da estabilidade. E, verá que realmente depois do processo de aprendizado e de dificuldade inicial a vida começará a fluir.

Morar em Madrid…..

Morar em Madrid
Museu del Prado

O desejo e a ansiedade do imigrante de ver as coisas fluírem pode atrapalhar, caso ele venha sem nenhum documento, sem nenhuma reserva e principalmente sem ter qualquer tipo de planejamento.

O subemprego é a via mais fácil e rápida para um recém chegado. Porém vale ressaltar que após a crise, muitos postos de trabalhos qualificados foram destruídos. Mesmo a construção civil, os quais no modo geral, eram os que moviam a economia, que impulsionavam a engrenagem e faziam toda a cadeia trabalhista, empacou …

Por outro lado, esses mesmos trabalhadores qualificados que perderam seus trabalhos, foram quase forçados a emigrar. E os que ficaram foram obrigados a ser sujeitar a empregos mal remunerados e com isso o subemprego ficou mais disputado.

Se me perguntar, vale a pena morar em Madrid? Bem baseado em minhas andanças pelas Europa, eu digo que sim, vale muito a pena.